Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (PO ISE) aprova candidatura de Centurium

Programa educativo está implementado de forma “muito inovadora” em cinco escolas do concelho de Vila Real.

O Centurium – programa educativo acaba de ver aprovada a candidatura apresentada ao Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (PO ISE). Este é o “reconhecimento” do trabalho feito nos últimos 15 anos como “uma solução para as metas da flexibilidade curricular e, sobretudo, para o perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória”, aplaude o mentor do Centurium, destacando ainda o elevado número de alunos com necessidades educativas especiais envolvidos. Paulo Morais espera replicar este “programa de sucesso” em mais municípios, chegando assim a cada vez mais crianças e jovens.

Dado o trabalho desenvolvido através da implementação do programa no concelho de Braga, o Centurium é reconhecido pelo Ministério da Educação enquanto Programa Educativo e recebe agora “luz verde” para implementar o programa e, sobretudo, a Academia Social.

Este “reconhecimento”, continua o também professor de Matemática, “vem certificar, validar e animar todas as comunidades envolvidas no programa educativo”, a começar por Braga, onde o Centurium deu “os primeiros passos”, tendo chegado até agora a cerca de 50 municípios, nomeadamente Vila Real, Porto, Matosinhos, Lousada, Vizela, Valongo, Vila Nova de Gaia, Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Vimioso, entre outros.

De destacar que a final do Centurium – XII Torneio de Jogos Romanos de Tabuleiro, realizada em julho do ano passado, trouxe todas as certezas: o programa educativo está efetivamente implementado de forma “muito inovadora” em cinco escolas (Escola Secundária São Pedro e o Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus) do concelho de Vila Real. Prova disso foram os resultados de alunos e de professores no torneio disputado por escolas de vários concelhos do Norte do país. “O torneio foi um teste de fogo superado com distinção e com mérito dos professores das escolas de Vila Real”, lembra o mentor do Centurium, admitindo que este “sucesso” também se deve ao facto do programa educativo “já estar bem definido e o modelo estar a ser replicado”.

Programa educativo está implementado em cerca de 50 escolas e já capacitou mais de 600 professores

A aprovação da candidatura é também o “reconhecimento” do trabalho de mais de 600 professores que já fizeram a formação e capacitação e têm levado para as escolas o Centurium. “A nossa vontade é replicar o programa educativo ao maior número de municípios possível, porque encontramos o modelo de sucesso”, assume Paulo Morais, valorizando o trabalho de centenas de professores ao longo dos últimos anos.

“Estamos concentrados em garantir a qualidade e o sucesso do trabalho em cada um dos municípios”, garante o mentor do programa educativo, adiantando que esta candidatura permitiu contratar recursos humanos para que se possa replicar o modelo que está a ser criado a partir de Braga.

Enquanto promotor de boas práticas escolares, a candidatura do Centurium tem na sua essência, de acordo com o professor de Matemática, a missão de inclusão social, para além da promoção de emprego.

Outro dos pontos-chave da candidatura é a possibilidade de ter alunos, em contexto de exclusão ou periferia social, cultural ou económica, como promotores das dinâmicas do Centurium. “A missão do Centurium, através desta candidatura, para além do contexto escolar tem também o objetivo de envolver estes jovens na transição das práticas do programa educativo no contexto escolar para o contexto social”, explica.

À imagem do que já é aplicado em Braga – também através da candidatura no âmbito do Programa Inovação Social – “pretende-se colocar estes jovens como atores sociais e despoletar os processos de gamificação e dimensão lúdica do jogo em Gondomar”, adianta.

Aqui surge o “denominador comum” do Centurium com a missão do parceiro-chave. “O Instituto das Comunidades Educativas (ICE) tem como principal objetivo e razão de ser o combate contra a exclusão social, promovendo a cultura educativa e o desenvolvimento integrado local”, sublinha Paulo Morais, destacando a presença do ICE em todos as comunidades onde o Centurium tem expressão.

Menu