PSD de Vila Real defende que reabilitação do mercado é “maquilhagem” e solicita apoio aos comerciantes

O PSD de Vila Real, em comunicado, defendeu que, após uma visita às obras do Mercado Municipal, constatou que, “apesar do desenvolvimento moroso e penoso da empreitada, (…) a intervenção de “reabilitação” não é mais do que uma maquilhagem na estrutura edificada”.

Segundo os sociais-democratas , o Mercado Municipal, enquanto “equipamento urbano fundamental ao serviço da população, era merecedor de um plano funcional específico e mais ambicioso”. “O executivo socialista, aparentemente, olha a função do Mercado Municipal como um estorvo urbano, um equipamento que impede o “progresso”, tendo avançado para um projeto de reabilitação sem previamente conceber ou elaborar um plano diretor para aquele equipamento”, pode ler-se no documento.

Além disso, o PSD vila-realense afirma que “não existe qualquer informação sobre o prazo de execução, nem estimativa para o final da obra”. Situação que é “agravada” pelo do facto do executivo socialista ter dado “início aos trabalhos de requalificação na zona envolvente, encerrando ao trânsito a Rua Santa Sofia, sem que os comerciantes do Mercado Municipal e da zona envolvente tenham tido conhecimento antecipado, de forma a eles próprios poderem organizar as suas rotinas e atividades”.

“Esta falta de informação e planeamento das obras em curso é visível a todos. Provoca transtornos acrescidos aos Vila-Realenses, ao nível do condicionamento no trânsito, e neste caso particular do Mercado Municipal e envolvente, têm sido um ataque feroz à subsistência e à sobrevivência do negócio dos comerciantes que ainda subsistem naquele espaço comercial”, sublinhou o PSD, solicitando ao executivo municipal que “considere absolutamente essencial reforçar e fortalecer o apoio ao comércio tradicional, em particular aos comerciantes que têm que juntar à crise económica excepcional que vivemos, estes constrangimentos das obras que condicionam o seu negócio”.

“As consequências pelo atraso das obras, que decorrem sob a responsabilidade do Município, não podem ser assumidas também pelos comerciantes do Mercado”, concluiu o PSD.

Menu