PSD defende que Escola Secundária Camilo Castelo Branco deve ser requalificada

O Grupo Parlamentar do PSD entregou um projeto de resolução em que recomenda ao Governo que, em colaboração com todos os agentes educativos, “projete, calendarize e materialize uma intervenção profunda na Escola Camilo Castelo Branco, em Vila Real, de forma a devolver à mesma as condições indispensáveis para um ensino contemporâneo e de qualidade”.

No documento, os social-democratas relembram que a Escola Camilo Castelo Branco, que não foi abrangida, como previsto inicialmente, no programa de intervenção da Parque Escolar, “por razões que se desconhecem” e que revela um conjunto de problemas e constrangimentos graves e que afeta diariamente as condições de trabalho e a qualidade de vida dos seus cerca de 1200 alunos, 101 professores (quadro) e 34 funcionários, tais como “infiltrações; redes de água e saneamento; instalação de rede elétrica não adequada às exigências atuais; sanitários; conforto e funcionalidade das salas de aula; falta ou inadequação dos equipamentos e instalações do Bar e Cantina; inexistência de instalações desportivas adequadas; sistema de aquecimento pouco eficaz (fugas por falta de isolamento dos espaços) e dispendioso (caldeira a gás natural); degradação do edifício anexo”.

Os deputados do PSD consideram ainda que “o abandono a que foi votada a Escola Secundária Camilo Castelo Branco, tanto pelo Ministério da Educação como pela Parque Escolar, não é compatível com o desígnio de uma escola pública de qualidade tão propalado pelo governo. A degradação do edificado e dos espaços comuns, apesar de todos os esforços desenvolvidos pelas sucessivas direções da escola, são visíveis na falta de condições em termos de salubridade, de segurança e de climatização, comprometendo o normal funcionamento das atividades e a qualidade do ensino aí prestado”.

Menu