PSD questiona Governo sobre falta de ventiladores no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro


Os deputados do PSD eleitos por Vila Real pediram esclarecimentos ao Governo sobre a distribuição de ventiladores para o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).

Luís Leite Ramos, Cláudia Bento e Artur Soveral Andrade sublinham que esta unidade de saúde dispõe apenas de 12 camas de cuidados intensivos e 12 camas de cuidados intermédios apenas no hospital de Vila Real, um número que dizem “ser inferior ao da realidade nacional”.

Além disso, “estas camas e ventiladores existentes não estão exclusivamente dedicados a doentes covid-19 positivos, uma vez que há outro tipo de doentes que continuam a necessitar de ser assistidos por estes recursos e não podem ser descurados”.

Nesse sentido, os deputados solicitam um esclarecimento à ministra da Saúde, através da Assembleia da República, sobre os “critérios usados na distribuição de ventiladores pelas diferentes unidades hospitalares” e querem saber “qual o motivo pela não distribuição de ventiladores ao CHTMAD”.

Os deputados perguntaram ainda quantos ventiladores existem atualmente em cada hospital do CHTMAD e se o Ministério da Saúde considera esse número “suficiente”.

“Se não, quantos ventiladores e quando serão adquiridos para colmatar esta insuficiência”, questionaram ainda. Por fim, os social-democratas querem saber qual foi o reforço de dispositivos médicos efetuado no CHTMAD depois do início da pandemia.

Os deputados referiram que o Governo divulgou na sua página oficial um mapa com o número de ventiladores distribuídos por região pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a informação disponibilizada nesta página, os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) receberão, até ao próximo dia 19 de abril, cerca de “300 ventiladores”.

Foi também informado que, no dia 5 de abril, um “voo da TAP fretado pelo Governo português para o transporte de material diverso de resposta à pandemia covid-19 aterrou em Lisboa, contendo 144 ventiladores”, adquiridos pelo Administração Central do Sistema de Saúde e doados por um particular.

Os deputados concluem que o CHTMAD “não foi contemplado com nenhum dos 300 ventiladores distribuídos no continente”, nomeadamente 164 no Norte, 12 no Centro, 116 em Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Alentejo e quatro no Algarve.

“Não questionamos as diferentes necessidades de equipamentos a nível nacional, mas é imperioso que os critérios de atribuição sejam claros. Esta região já antes da pandemia apresentava várias assimetrias de acesso à saúde e não é compreensível que, mais uma vez, esta unidade hospitalar ter sido excluída de qualquer investimento”, sublinham os deputados.

Menu