Rajadas de vento causam estragos em Vila Real

Na noite passada, de domingo para segunda, o concelho de Vila Real foi surpreendido com rajadas de vento forte que provocaram vários danos na cidade.

Segundo o comandante da proteção civil municipal, Miguel Fonseca, houve 23 ocorrências registadas, no concelho, desde quedas de estruturas metálicas e árvores (que condicionaram algumas estradadas), sendo os casos mais graves uma grua que caiu no Campo do Calvário, uma estrutura de andaimes que desabou sobre uma rua, e árvores que caíram e danificaram viaturas.

Miguel Fonseca adiantou ainda que, apesar dos elevados prejuízos, não há vítimas a registar.

Carlos Silva, vereador responsável pela área da proteção civil da Câmara de Vila Real, refere que estão a ser efetuados todos esforços para que a normalidade seja retomada o mais depressa possível.

Segundo fonte da GNR, a queda de uma árvore condicionou temporariamente o Itinerário Principal 4 (IP4), ao quilómetro 93, junto a Parada de Cunhos, no sentido Vila Real-Amarante.

Também há registos de queda de árvores na Estrada Nacional 15 (EN15), na zona de Parada de Cunhos, e ao quilómetro 61 da EN2 uma árvore caiu sobre um carro e obstruiu a via.

Para além da queda de árvores, dos andaimes e da grua, foram danificados alguns telhados e foram registados cortes de eletricidade.

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, pronunciou-se sobre as ocorrências: “foi uma noite muito difícil e complicada, sobretudo nas freguesias urbanas e periurbanas do concelho. Os trabalhadores da câmara municipal, a proteção civil, nomeadamente os bombeiros e as forças de segurança e, também, alguns voluntários, ajudaram a normalizar a situação durante a noite, mas, até por volta das 6 da manhã, houve muito trabalho a fazer”, explicou.

Relativamente à situação da grua, o presidente declarou que esta estava montada num terreno particular e que será necessário apurar as responsabilidades e acionar os mecanismos necessários, para resolver o problema o mais rápido possível.

CR

Menu