Renato Almeida é o novo coordenador nacional dos Jovens Trabalhadores Socialistas

No passado fim de semana, a juventude socialista reuniu em 3 plenários nacionais, com dezenas de jovens socialistas a reunir-se em plenário, por via digital, para debater os temas do trabalho, ensino e autárquicas, e eleger os coordenadores nacionais para as estruturas dos jovens autarcas socialistas, jovens estudantes socialistas e jovens trabalhadores socialistas.

No plenário onde o futuro do trabalho, a precariedade e o desemprego jovem foram os motes do encontro que se estendeu durante todo o domingo, onde marcaram presença Ana Catarina Mendes, Presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, no seu discurso referiu que “PS também avança com diploma sobre teletrabalho ainda este mês”, Miguel Cabrita, Secretário de Estado do Emprego, Tiago Barbosa Ribeiro, Deputado Coordenador do GPPS na Comissão de Trabalho e Segurança Social, Carlos Trindade, Coordenador Nacional Tendência Socialista CGTP, Carlos Moreira, Presidente Comissão Juventude UGT e ainda Ana Mendes Godinho, Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, além das dezenas de jovens que moderaram e questionaram estes painéis de grande qualidade.

Foi também vincado neste encontro que as estruturas sindicais devem ser reforçadas cada vez mais por quadros mais jovens, tema este onde também a Juventude Socialista ira debater-se por um sindicalismo logo desde a entrada no trabalho, lutando assim por um Sindicalismo por defeito, “Há muitos desafios, e para que possamos vencer no presente, precisamos de agregar vontades para que a voz da nossa geração seja maior”.

Neste plenário na ordem do dia também estava a eleição do novo coordenador nacional dos Jovens Trabalhadores Socialistas, que culminou com a eleição do aguiarense Renato Almeida como novo coordenador nacional dos Jovens Trabalhadores Socialistas, juntando assim estas funções ao cargo de Presidente Federação Distrital de Vila Real da Juventude Socialista.

Renato Almeida, no seu discurso como novo coordenador nacional, referiu que o compromisso da JTS e da JS, é de desenvolver respostas que vão de encontro a um futuro para um país cada vez mais justo e sustentável. E que a estrutura vai lutar um Direito a Desligar, e pelo justo aumento da remuneração dos estágios profissionais do IEFP, concluindo que “Os jovens portugueses têm valor, e não podem ser coagidos a aceitar um estágio onde a remuneração é apenas e só a experiência de trabalho.”

Menu