Serviço da Misericórdia de Lamego acode a situações de emergência social

Ao longo dos últimos anos, as pessoas em situação de vulnerabilidade e exclusão social encontram no Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS) da Misericórdia de Lamego o apoio mais adequado à situação de emergência social em que vivem. De portas abertas na Rua do Teatro, a sua equipa técnica fez até ao momento mais de 4870 atendimentos, sobretudo junto de idosos, desempregados e pessoas com insuficiência de rendimentos e em situação de carência económica. “Trata-se de um serviço de proximidade que tem impacto muito positivo na vida de muitas famílias do nosso concelho. Ele promove efetivamente a melhoria das suas condições de vida e facilita a inclusão social dos mais desfavorecidos. Esta Santa Casa tudo fará para que continue a prestar um serviço de excelência”, afirma o Provedor António Carreira.
Criado em agosto de 2016, ao assumir algumas competências que anteriormente eram desempenhadas pela Segurança Social, o SAAS já se afirmou como um projeto inovador e imprimiu uma mudança positiva na área da intervenção social. Recebe um leque muito variado de pedidos de ajuda: equipamentos, acesso a cuidados de saúde, alimentação, habitação digna e informação diversa sobre benefícios e respostas sociais dirigidas a idosos. Eventualmente também são solicitados auxílios económicos para suportar despesas urgentes relacionadas com a saúde e com o sobre-endividamento.
A intervenção técnica do SAAS é assegurada por uma equipa multidisciplinar constituída por uma coordenadora e duas técnicas que prestam apoio personalizado. Trabalha todos os dias rede, com outras instituições públicas e IPSS’s do concelho, e em colaboração permanente com o Centro Distrital de Segurança Social de Viseu, nos domínios das responsabilidades de organização e monitorização.
O Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social tem por objetivo garantir uma intervenção articulada e integrada de diversas entidades com responsabilidade no desenvolvimento da ação social. Ao assumir tarefas nesta área, promove uma intervenção de primeira linha e a resolução de problemas sociais em situações de crise ou de emergência social. Podem recorrer a este modelo de resposta social todos os residentes no concelho.

Menu