Vila Pouca de Aguiar: autarcas e dirigentes concertaram medidas para enfrentar a crise pandémica

Reunidos na casa da Assembleia a 16 de abril, autarcas e dirigentes de Vila Pouca de Aguiar concertaram medidas para enfrentar a crise pandémica.

No ensino à distância, a regra é a de que está a correr bem. Naturalmente, de entre os 1.041 alunos desde o primeiro ciclo ao ensino profissional, há exceções e o diretor do agrupamento, José Teixeira, deu o exemplo com as aulas do secundário que decorrem com muito bons resultados, sem faltas, à exceção de dois alunos que estão sem meios. Através das freguesias, o agrupamento fará chegar desde já materiais em papel e com indicações educativas.

Distribuir milhares de pacotes de leite escolar é uma das medidas que será implementada a curto prazo, destinada ao pré-escolar (166 crianças) e primeiro ciclo (276 crianças). O Agrupamento prepara os lotes, a Proteção Civil leva às Freguesias com estes autarcas a entregar à porta dos alunos.

Na ação social escolar, analisar caso a caso a distribuição de refeições ou bens para confecionar alimentos, e foi pedido aos autarcas que reportem à proteção civil situações de pessoas que estejam mais fragilizadas de forma a receberem cabazes municipais com bens essenciais; Alberto Machado referiu mesmo o dever de chegar onde o Estado não chega.

Na saúde, foi recomendado os autarcas terem prioridade no acesso aos medicamentos que irão entregar às pessoas mais vulneráveis. Relativamente ao Centro Municipal de Testes à Covid-19, há a expectativa de aumentar a capacidade de realização de colheitas, todavia, terá sempre de haver requisição médica da unidade de saúde.

Na segurança, foi registado que os munícipes estão a cumprir muito bem as recomendações ao confinamento e os casos de exceção também estão a ser bem-sucedidos devido à articulação entre Juntas, Proteção Civil e GNR. A finalizar a reunião, o presidente da Assembleia Municipal, Álvaro de Sousa realçou o empenho de todos e união contra a pandemia.

Menu