Vila Real acolheu escuteiros da região para abertura do ano escutista

A cidade de Vila Real foi palco do XXXI Encontro Regional dos Escuteiros da Região de Vila Real contando com a presença de 750 escuteiros dos cerca de 1000 que integram a região, atividade que marca o arranque oficial do ano escutista.

No evento, que aconteceu no dia 10 de outubro, depois de mais de um ano e meio de paragem forçada devido à pandemia, os escuteiros desta região voltaram a encontrar-se partilhando a alegria que lhes é tão característica. Segundo o Coordenador Regional, Fábio António, “esta é uma região que se orgulha do seu escutismo, aquele em que somos uma gigante família e vivemos a fraternidade em todas as ações.”

O dia começou bem cedo com a cerimónia de abertura aos 17 agrupamentos dos 22 da região contando com a presença do Vereador do Município de Vila Real, professor José Maria Magalhães, e do presidente da União de Freguesias de Vila Real, Francisco Rocha, que, após agradecimento e regozijo por este movimento ser útil à sociedade deixaram os jovens escuteiros cheios de energia para percorrerem vários locais da cidade, descobrindo curiosidades e histórias sob o tema “Continuar caminho”, numa alusão aos 50 anos do Agrupamento 212 São Pedro, que, coorganizando este encontro, vê assim mais um marco na sua história.

À tarde, o desfile dos vários agrupamentos pelas principais artérias da cidade pintou Vila Real com as cores das várias secções terminando no Jardim da Carreira com a Eucaristia presidida pelo Bispo de Vila Real. D. António Augusto Azevedo falou da importância de estar atentos aos sinais e reconhecer Deus quando nos aparece nas coisas do dia-a-dia e pediu a todos os escuteiros compromisso com o caminho cristão.

O Chefe Nacional do CNE, Ivo Faria, e o Chefe Nacional Adjunto, Paulo Pinto, deslocaram-se à região alegrando-se com a força dos escuteiros e deixando palavras de motivação para o caminho que se está a percorrer no CNE, em geral, e na região, em particular. Houve ainda tempo para uma condecoração nacional à Chefe Alice Guedes, antiga Chefe Regional, por todo o trabalho em prol do escutismo na região.

Já com o mote para o próximo ano, os escuteiros foram convidados a seguir o exemplo de Jacques Sévin e a transformar o mundo, seguindo e servindo os valores do CNE, a serem ágeis e audazes na construção de um mundo melhor.

Joana Vieira, Agr.756 – Alijó

Menu