XVIII Congresso Partido Socialista realizou-se em Mesão Frio

Geral

Decorreu em Mesão Frio, no passado dia 24 de março, o XVIII Congresso da Federação Distrital de Vila Real do Partido Socialista. Neste congresso foi amplamente debatida e aprovada, por unanimidade, a moção de orientação política “Continuar a Construir” cujo primeiro subscritor é Francisco Rocha, Presidente da Federação Distrital. Esta moção pretende dar continuidade ao trabalho político desenvolvido nos últimos anos e que levou à histórica vitória nas eleições autárquicas de 2017, nas quais o PS venceu oito municípios, dos quais, pela primeira vez, Chaves e Vila Real.

Nesta que é a reunião magna dos socialistas do distrito ficou patente que, com a atual configuração do poder autárquico, o Partido Socialista tem a oportunidade e o dever de implementar o seu projeto político e afirmar-se cada vez mais como a opção de confiança dos cidadãos do distrito.

O Presidente da Comissão Organizadora do Congresso, Alberto Pereira, no decorrer da cerimónia de abertura salientou o orgulho e a honra do concelho de Mesão Frio em ser, pela primeira vez na sua história, anfitrião deste evento. Referiu ainda que este facto é o reconhecimento de um excelente trabalho desenvolvido na liderança daquela autarquia e da melhoria acentuada das condições de vida dos mesão-frienses.

Ao longo do evento foi enfatizado o bom trabalho realizado pelo atual Governo, nas dimensões nacional e regional. No entanto, os socialistas reconhecem que existem áreas que devem continuar a merecer a atenção de políticas públicas, nomeadamente a Saúde, a Educação e a Coesão Social. Estas são, por isso, linhas prioritárias de atuação para o trabalho político dos próximos anos. A Coesão Territorial foi também amplamente discutida, com especial destaque para descentralização do Estado que, para os socialistas do distrito, é uma oportunidade única para aproximar o Estado aos cidadãos e torná-lo mais eficaz.

Pedro Silva Pereira, deputado no Parlamento Europeu, marcou presença neste congresso e elencou, na sua intervenção, os desafios europeus que se colocam a Portugal, particularmente as questões relacionadas com o “Brexit”, o próximo Quadro Financeiro Plurianual e os acordos de comércio internacional.

Na sessão de encerramento, para além do Presidente do Congresso, Alberto Pereira, tomaram a palavra Ascenso Simões, Manuel Caldeira Cabral e Francisco Rocha. Ascenso Simões, deputado à Assembleia da República, deu realce à liderança congregadora do Presidente da Federação e retratou, ainda, a evolução da estrutura partidária a nível distrital, que demonstra ter um pensamento estruturado para a região e uma férrea determinação na construção de um distrito cada vez melhor preparado para os desafios futuros.

Manuel Caldeira Cabral, que exerce funções de Ministro da Economia, demonstrou perante todos que, afinal, havia alternativa à austeridade expansionista da direita e que os portugueses têm vindo a recuperar a confiança no Governo, no Estado e, acima de tudo, em si próprios. Teve ainda a oportunidade para expor alguns números da governação e os resultados já evidentes das políticas de incentivo ao investimento no interior do país, nomeadamente nos setores da indústria, das tecnologias digitais e do turismo.

O Presidente da Federação, Francisco Rocha, tornou claro que “o objetivo e a aposta do PS no distrito, depois da vitória histórica nas últimas eleições autárquicas, só pode passar por repetir o mesmo feito nas próximas eleições europeias e legislativas”. Lembrou que “os socialistas do distrito não abdicam da sua capacidade reivindicativa e pensamento crítico” e que “existem matérias que exigem atenção especial, como é o caso do processo de descentralização, do desafio demográfico, da reforma do território, da acessibilidade aos cuidados de saúde, das questões da fiscalidade, assim como a reprogramação do PT2020 e a criação de uma gaveta financeira exclusivamente dedicada aos territórios de baixa densidade no denominado PT20230”. Recorda-se que Francisco Rocha já tinha sido eleito por, esmagadora maioria dos militantes, através de sufrágio direto no passado dia 10 de março, vendo renovada, pela terceira vez, a sua liderança à frente dos destinos da estrutura distrital dos Socialistas.

Neste congresso federativo foram ainda eleitos os novos órgãos distritais com uma votação superior a 90%, sendo que Alexandre Chaves continuará a presidir à Mesa da Comissão Política da Federação Distrital, José Carlos Rendeiro passará a dirigir a Comissão Federativa de Jurisdição, e Emanuel Rodrigues Costa renova a presidência da Comissão Federativa de Fiscalização Económica e Financeira.

Menu